DIAMANTÍFEROS BATEM O LIBOLO E ASSUMEM A LIDERANÇA DO GIRABOLA

O Sagrada Esperança da Lunda Norte venceu, neste sábado (10), o Recreativo do Libolo por duas bolas a zero, em partida de acerto à 23ª jornada do Girabola.

Num desafio bastante disputado, jogado num ritmo intenso, em que a equipa da casa procurou, desde o início, assumir as rédeas do jogo, fazendo a circulação rápida da bola entre os seus jogadores e transições rápidas quer pelo flanco direito, quer pelo flanco esquerdo, onde o Karanga e Muenho trabalhavam como autênticos flanqueadores.

O Recreativo do Libolo este defendia-se num bloco médio – baixo, procurando, quando em posse da bola, sair em contra-ataques rápidos.

Mas os lundas melhor preparados e a jogar diante do seu público, era uma equipa equilibrada da defesa ao ataque perante um Libolo que lutava para adiar o mais possível o golo diamantífero.

Este não tardou a chegar. Aos 17 minutos, numa jogada quase que inofensiva, o lateral Karanga, do meio da rua, aos 35 – 40 metros da baliza, ensaiou um autêntico míssil que o guarda-redes Jota B não conseguiu defender, fazendo a abertura do marcador.

Depois do golo, os Libolenses encolheram-se e o Sagrada baixou a intensidade do jogo, convidando o seu adversário a procurar a bola que era trocada de jogador a jogador dos diamantíferos.

Depois do intervalo, as duas equipas operaram mexidas e o desafio reiniciou numa toada ritmada, mais viva e repleta de emoção, pois o Sagrada buscava o golo da tranquilidade e os libolenses alimentavam as esperanças de chegar à igualdade.

Como aos pupilos de Paulo Torres faltava objectividade e discernimento no último terço ofensivo, eram os donos da casa que explorando o contra-ataque começava a jogar nas costas do adversário e cada vez mais chegava com muito perigo à baliza defendida por Jota B.

Numa jogada de envolvimento ofensivo dos diamantíferos, Lulas sobre a divisória, descaído para a esquerda, faz um passe de morte, isolando Luís Tati que ficou cara a cara com o guarda-redes Jota B e com um toque subtil, desviou a bola, fixando o marcador em duas bolas a zero.

Perante um adversário sem ideias e objectividade ofensiva, o Sagrada limitou-se a gerir o resultado, circulando a bola de pé para pé e fazendo a festa com os seus adeptos.

Vitória justa, perante uma boa arbitragem do senhor Nelson Milagre, bem assistido por Manuel Coelho e Tomás Lima.

Falando à imprensa, no final do desfaio, Francisco Moniz “Frank”, adjunto de Roque Sapiri, dedicou a vitória ao finado Francisco Faila Quintino, falecido no passado dia 8 de Julho. A entrevista completa do míster Frank no link ao lado.

Other Articles

Comunicado de ImprensaDestaques
NOTA DE CONDOLÊNCIA

Leave a Reply

Precisas de ajuda?
Enviar via WhatsApp